Momentos Históricos

Historial dos resultados Desportivos
Desde a sua fundação, o percurso do Varzim SC foi traçado com competições em campeonatos de Promoção, Distritais e Nacionais.
Na época 1926/1927, foi pela primeira vez campeão concelhio no Campeonato da Promoção e nas temporadas 1959/60, 1960/61 e 1961/62 conquistou o título da 1ª Divisão Distrital.

No ano seguinte, disputou o Campeonato Nacional da III Divisão e, na fase de apuramento do campeão, ao derrotar o Luso de Barreiro no Estádio Municipal de Coimbra por 2-1 conseguiu o 1º título nacional.
Este feito histórico resultou de uma profunda mudança em termos directivos, protagonizada por João Caetano Nunes Guerreiro (presidente da Direcção), Manuel Silva Pereira (vice-presidente) e demais laboriosos colaboradores.
Uma equipa profissional foi estruturada e contratado um jogador-treinador que acabaria por se tornar numa figura mítica do Varzim: Ricardo Perez, um argentino proveniente de uma equipa fantástica d’ “Os Belenenses”.
Na época de 1962-63 o Varzim regressou à I Divisão Nacional. Para além de Ricardo Perez, outros jogadores ficaram registados na história do Clube como por exemplo, Quim, Geninho, Jorge, Flávio e Carvalhinho.
Em 14 de Junho de 1963, no desfecho do “Nacional” da I Divisão, o Varzim arrecadou pela segunda vez o título de campeão nacional ao vencer por 4-2 o Seixal.
Em 1971, os anos de glória findaram com a descida à II Divisão Nacional. De 1963 a 1971, o comando técnico do Varzim foi assumido por Artur Quaresma (2 épocas), Pedroto (1), José Vale (1), Ricardo Perez (1), Monteiro da Costa (1), Joaquim Meirim (1) e Rodrigues Dias (incompleta).
De 1971 a 1976, o Varzim disputou sempre a II Divisão Nacional ambicionando a subida.
Após nova revolução no corpo directivo do Clube, na época de 1975-76 viveram-se momentos gloriosos com o regresso à I Divisão Nacional por uma equipa histórica, comandada por António Teixeira.
Do Leixões vieram os “bebés” Horácio, Cacheira, Montoia e Praia para participar na proeza de ganhar o campeonato da Zona Norte com 14 pontos de avanço em relação ao 2º classificado e sofrendo três derrotas. O título de campeão nacional da II Divisão foi obtido em Tomar com a vitória sobre o Portimonense (campeão da Zona Sul).

De 1979 a 1981, envolto numa grave crise financeira à qual os resultados desportivos não foram impermeáveis, assistiu-se à descida de divisão.

Com Francisco Troina a presidente, o Varzim regressa na temporada de 1981-82 à I Divisão. De 1991 a 1996, o Varzim perfilou na II Divisão B, prova que da qual se sagrou campeão na época de 1995-96, regressando à Liga Profissional. Iniciava-se aqui um ciclo vitorioso para o Varzim.
Na época seguinte (96-97), toda a Póvoa assistiu e delirou com a histórica subida à I Liga. Horácio Gonçalves foi o homem que comandou o grupo de trabalho e assinou estas páginas de ouro no historial do Varzim.
Desde então, o percurso do Clube tem sido traçado entre descidas e subidas de Divisão. Depois de na época 2003-04 ter estado perto de alcançar a subida à Superliga, terminando a prova no 4º lugar, o Varzim partiu para um novo ciclo da sua história.
Na época 04-05, Lopes de Castro assumiu a presidência do Varzim tendo como principais ideais a modernização do clube, a aposta firme na Formação e o regresso ao escalão principal do futebol nacional. Desde então, o Varzim encontra-se a ser restruturado nas mais variadas vertentes e próximo de concretizar o projecto mais ambicioso de toda a história do clube: a construção de um novo Estádio. Em termos desportivos, o Varzim, por todo seu historial e prestígio, assume-se naturalmente como candidato à subida de Divisão, no entanto, adversidades de várias índoles têm impedido de atingir esse propósito.

Ainda assim, nas épocas mais recentes o nosso clube tem conseguido granjear alguns êxitos desportivos.O percurso na Taça de Portugal na época 06-07, ficou para sempre gravado memória dos varzinistas e nas páginas desta competição com a vitória, na Póvoa, sobre o SL Benfica, nos Oitavos de Final. O Estádio do Varzim teve lotação esgotada e, pela televisão, o mundo assistiu em directo à valentia dos nossos Lobos do Mar.

Uma vitória por 2-1 (golos de Mendonça e Nelson na p.b.) colocou o Varzim nos Quartos de Final e na lista de momentos históricos da Taça de Portugal. Eternizado ficará igualmente a ficha de jogo, que atesta o feito indescritível da nossa equipa ter terminado o jogo com 10 atletas formados nas nossas camadas jovens (Ricardo (g.r.), Alexandre, Tito, Nuno Ribeiro, Pedro Santos, Emanuel, Pedrinho, Tiago Lopes, Neto e Yazalde).

O percurso terminou nos Quartos de final, frente ao Sporting de Braga, com uma derrota no terreno adversário por 2-0. As centenas de poveiros que marcaram presença do estádio bracarense aplaudiram o desempenho memorável da sua equipa que nessa tarde viram escapar a possibilidade de chegar ás Meias-finais.

A época 07-08 ficou marcada pelo título de Campeão da Liga Intercalar, no primeiro ano que esta prova se realizou. Ao tomar conhecimento dos objectivos que alicerçavam a Liga Intercalar, o Varzim aliou-se de imediato à Associação de Futebol do Porto na concretização deste projecto. Sendo um dos clubes portugueses que mais aposta na juventude ao nível profissional, o Varzim jamais ficaria de fora de uma prova que tem como finalidade lançar jogadores jovens e dar rotatividade aos atletas menos utilizados nos planteis profissionais.
E o percurso dos Lobos do Mar nesta nova Taça não podia ter sido mais brilhante.
Depois de entrar com o pé direito na 1ª jornada ao vencer o Gondomar, o Varzim partiu para uma prestação irrepreensível na 1ª fase do Torneio, garantindo a presença nos Play-off na 7ª jornada, após empate com o Penafiel e com um golo de Candeias e classificando-se em 2º lugar com 6 vitórias, 1 empate e apenas 2 derrotas.

Com a Meia Final assegurada, o Varzim aproveitou a 2ª fase do Torneio para dar visibilidade aos Juniores e os nossos atletas foram “Enormes” nas suas exibições. Ultrapassando, mas com o orgulho ferido pela alteração da data da Meia- Final, o Varzim apresentou-se no Estádio da Maia com o máximo de dignidade possível (apesar das ausências) para defrontar o Trofense e, apesar da superioridade poveira ao longo dos 120 minutos, o finalista da Intercalar acabou por ser apurado nas grandes penalidades e aí o Varzim voltou a ser maior que o adversário.Nuno Gomes, Tássio e Ukra não falharam e Marafona esteve em destaque ao defender duas penalidades. A festa na Maia foi alvinegra!

Na final, também ela envolta em grande polémica pela mudança da data em benefício do adversário, o Varzim mostrou, mais uma vez, ser uma equipa merecedora de respeito. 90 minutos não chegaram para conhecer o campeão e, no prolongamento, foi o Varzim que sobressaiu com a sua exibição. Aos 117 minutos, Candeias marcou o golo que garantiu o 1º título da Liga Intercalar!

O Varzim gravou a ouro o seu nome na história da Liga Intercalar ao sagrar-se o 1º Campeão da prova.

269271_409030775807412_79313075_n

Na época 2011/2012, os Lobos do Mar, sob o comando técnico de Dito, venceram o grupo da  zona norte da 2.ª Divisão Nacional com um trajecto espectacular e alcançou a tão desejada subida à 2.ª Liga. Dos 30 jogos disputados, o Varzim venceu 20, tendo sofrido apenas 2 derrotas e empatado 8 jogos.

544671_406453342731822_1818536974_n

Depois disso, disputou o Play-off para apuramento do Campeão, com o Fátima e o Tondela. Os poveiros venceram 3 dos 4 jogos realizados e sagrou-se Campeão Nacional da 2.ª Divisão. Um feito que encheu de orgulho todos os varzinistas e poveiros!
563865_409029455807544_1245952101_n

Apesar do percurso irrepreensível da equipa e dos feitos alcançados dentro de campo, o regresso às competições profissionais não se concretizou, uma vez que devido a problemas financeiros, a Direcção do Clube, então encabeçada por Lopes de Castro, não conseguiu reunir as condições exigidas pela LPFP para a inscrição dos jogadores. O Varzim teria que manter-se na 2.ª Divisão Nacional, agora, denominada, Campeonato Nacional de Séniores.

288319_230959256947899_1555750_o

 

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Todos os Direitos Reservados © 2015 - Desenvolvido por Miguel Moleiro

Topo